Número de carros na UE aumentou 38 por cento em 14 anos

Portugal é um dos países da Europa com mais automóveis por habitante

Em 2004, os acidentes de viação causaram 43 mil mortos na UE25
Foto
Em 2004, os acidentes de viação causaram 43 mil mortos na UE25 David Clifford/PÚBLICO (arquivo)

Portugal está no pelotão da frente dos países da União Europeia (UE) com mais automóveis por habitante, revelou hoje um relatório do Eurostat. Entre 1990 e 2004, houve um aumento de 38 por cento do número de automóveis no espaço dos 25, atingindo a proporção de um carro para cada duas pessoas.

Em 2004, a União Europeia a 25 tinha 216 milhões de automóveis.

Depois de estudar a evolução do mercado automóvel de 1990 a 2004, o Eurostat constatou que os maiores aumentos se registaram na Lituânia (mais 167 por cento), Letónia (142 por cento), Portugal (135 por cento), Polónia (128 por cento) e Grécia (121 por cento). Os países onde o número de carros aumentou menos ficam na Escandinávia: Suécia (14 por cento), Dinamarca (20 por cento) e Finlândia (21 por cento).

Em 2004 existiam, em média, 472 carros por mil habitantes na UE25; mas os Estados Unidos conseguiam ter ainda mais automóveis em 2003: 759 carros por cada mil habitantes.

Quanto a Portugal, as tabelas mostram que em 1990 existiam 258 carros por cada mil habitantes. Passados 14 anos, esse número era de 572.

Mas o país com mais automóveis por habitante é o Luxemburgo (659), seguido da Itália (581) e depois por Portugal, com os seus 572 carros.

Mais de 43 mil mortes por acidentes de viação em 2004

Em 2004, os acidentes de viação causaram 43 mil mortos na UE25, com 95 mortes por cada milhão de habitantes. Este número seguiu uma tendência estável descendente desde 1991, onde se registavam 162 mortes.

A taxa destas mortes reduziu para metade em Portugal (124), Estónia, Espanha, Alemanha, França e Luxemburgo.

Os Estados membros com as taxas mais baixas eram Malta (33 mortes por milhão de habitantes), Holanda (49), Suécia (53) e Reino Unido (56). A Letónia (222), Lituânia (218), Chipre (160) e Polónia (150) registaram as taxas mais altas.

Nos Estados Unidos, a taxa era de 146.

Este relatório do Eurostat é divulgado na Semana Europeia da Mobilidade (16 a 22 de Setembro), na qual participam 1268 cidades.

Sugerir correcção