António Almeida lidera conselho superior da empresa

António Mexia vai presidir ao conselho de administração da EDP

António Mexia integrou o Governo de Santana Lopes como ministro das Obras Públicas, Transportes e Comunicações
Fotogaleria
António Mexia integrou o Governo de Santana Lopes como ministro das Obras Públicas, Transportes e Comunicações António Cotrim/Lusa (arquivo)
Fotogaleria

António Mexia vai ser o novo presidente do conselho de administração da EDP - Energias de Portugal e António Almeida vai presidir ao conselho superior da empresa, anunciou hoje o ministro da Economia e da Inovação, Manuel Pinho.

O governante falava numa conferência de imprensa sobre o novo modelo de governação da EDP, que prevê a existência de um conselho superior em que estejam representantes dos principais accionistas, sem funções executivas, e um conselho de administração, com funções executivas.

O ministro da Economia esclareceu que o nome de António Mexia para presidente do conselho de administração da EDP foi proposto pelos accionistas privados com mais de dois por cento do capital da eléctrica, enquanto a escolha de António Almeida é da responsabilidade do Governo.

António Mexia, de 48 anos de idade e formado em economia pela Universidade de Genebra, na Suíça, foi chamado em 1986 para adjunto do então secretário de Estado do Comércio Externo Joaquim Ferreira do Amaral e manteve-se no cargo até 1988.

Antes de iniciar a sua actividade de gestor, passou pelo ICEP - Comércio e Turismo como vice-presidente e ocupou o cargo de administrador do Banco Espírito Santo Investimento até 2000.

Depois foi administrador da operadora de telecomunicações Oni, do grupo EDP - Electricidade de Portugal.

Foi também presidente da Gás de Portugal, Transgás e Petróleos de Portugal (Petrogal) até à reestruturação do grupo, que implicou a separação das empresas.

Em 2001, António Mexia passou a ser presidente executivo da Galp Energia - cargo que ocupou até Julho de 2004.

Nesse ano, António Mexia integrou o Governo de Pedro Santana Lopes como ministro das Obras Públicas, Transportes e Comunicações.

António Almeida, o novo presidente do conselho superior da EDP, foi presidente do conselho de administração da eléctrica entre 1996 e 1998, período da primeira fase de privatização da empresa - em 1997 - e do início da internacionalização, com os primeiros investimentos no Brasil. Posteriormente, de Maio de 2003 a Março de 2004 foi vogal do conselho de administração.

Em Abril de 2004, quando permanecia ainda na comissão de auditoria da EDP, António Almeida foi nomeado presidente do Operador do Mercado Ibérico de Energia.

Licenciado em Economia em 1961, pela Faculdade de Economia da Universidade do Porto, António Almeida foi secretário de Estado do Tesouro entre 1978 e 1980, no IV e V Governos Constitucionais, liderados por Mota Pinto e Maria de Lurdes Pintassilgo e voltou a ser secretário de Estado do Tesouro de Ernâni Lopes, entre 1983 e 1985.

No sector financeiro, António Almeida foi administrador e vice-presidente do Instituto de Crédito de Moçambique, governador e presidente do Banco de Angola, entre 1974 e 1978, presidente da União de Bancos Portugueses e administrador do Banco Europeu para a Reconstrução e Desenvolvimento, até Janeiro de 2004.

Sugerir correcção