Manchester United vence Taça de Inglaterra com golo de Ronaldo

Foto
Cristiano Ronaldo e Nistelrooy foram os marcadores de serviço Martin Rickett/EPA

O holandês Ruud van Nistelrooy apontou os restantes golos, que permitiram ao conjunto orientado pelo escocês Alex Ferguson conquistar a sua 11ª Taça de Inglaterra (detém o recorde de títulos) em 16 finais disputadas, numa época em que ficou num frustrante terceiro lugar da Liga inglesa e foi afastado nos oitavos-de-final da Liga dos Campeões pelo FC Porto.

O Manchester United foi a única equipa que mostrou argumentos para vencer a 123ª edição da prova, controlando as tímidas investidas do seu adversário e desperdiçando inúmeras oportunidades de golo.

O Millwall, formação do segundo escalão do futebol inglês, orientada pelo jogador-treinador Dennis Wise - que participou na sua quinta final da Taça de Inglaterra - apostou sempre no contra-ataque e nunca conseguiu contrariar o natural favoritismo do Manchester United.

O primeiro lance de grande perigo do jogo surgiu aos 22 minutos, quando o "capitão" do Manchester United, Roy Keane, obrigou o guarda-redes Andy Marshall a fazer uma espectacular defesa para canto.

A partir deste momento, o jogo conheceu uma nova fase, quando o internacional português Cristiano Ronaldo abriu o livro e arrancou para uma exibição fulgurante.

Perto do intervalo, o antigo extremo do Sporting esteve muito perto do golo, numa jogada em que um defesa do Millwall evitou que a bola se anichasse nas redes da baliza dos Lions, depois de uma defesa incompleta de Andy Marshall a remate do jogador português.

Foi o mote necessário para a revolta de Cristiano Ronaldo, que abriu o marcador, aos 44 minutos, respondendo de cabeça a um cruzamento da direita do lateral Gary Neville, e estabeleceu o resultado ao intervalo.

Aos 20 minutos do segundo tempo, o galês Ryan Giggs surgiu embalado pelo flanco direito e foi varrido por um defesa do Millwall dentro na grande área, com o árbitro a assinalar o castigo máximo.

Chamado à conversão, o holandês Ruud van Nistelrooy fez o 2-0 e colocou um ponto final nas esperanças dos muitos milhares de adeptos do Millwall presentes no Estádio Millennium, que apoiaram a sua equipa até ao final do encontro, numa clara demonstração de "fair-play".

A dez minutos do apito final, os mesmos intervenientes desenharam o terceiro golo da equipa de Old Trafford: Ryan Giggs fugiu pela esquerda e o antigo goleador do PSV Eindhoven surgiu isolado e, com a baliza deserta, marcou o seu segundo golo na partida, após um remate-centro do extremo galês.

À passagem do minuto 84, o técnico Alex Ferguson substituiu Cristiano Ronaldo pelo avançado norueguês Ole Gunnar Solskjaer, com o internacional português a receber uma forte ovação.

Aos 89 minutos, novo momento marcante da partida: Dennis Wise deu lugar ao médio Weston, que se tornou o mais jovem jogador de sempre a actuar na final da prova, com apenas 17 anos e 119 dias.

Com esta presença na final da Taça de Inglaterra, o Millwall conseguiu o apuramento para a Taça UEFA, uma vez que os "red devils" terminaram o campeonato no terceiro posto e vão estar presentes na terceira pré-eliminatória da Liga dos Campeões.

Adeptos descontentes por Ronaldo não ter sido eleito o melhor em campo

O seleccionador inglês Sven-Goran Eriksson surpreendeu os espectadores que assistiram à vitória do Manchester United ao eleger Ruud van Nistelrooy como o melhor em campo.

Quando os milhares de adeptos dos "red devils" tiveram conhecimento do voto do antigo treinador do Benfica, começaram a cantar "só há um Ronaldo", cântico dedicado ao internacional português do Manchester United.

"O voto surpreendeu-nos, ele [Cristiano Ronaldo] deveria ter sido eleito o melhor em campo", afirmou Dennis Wise, treinador-jogador do Millwall.

"Mostrei ao Robbie Ryan [defesa esquerdo do Millwall] um vídeo de Ronaldo. Tem muito talento e cria muitos espaços na frente, causou muitos problemas a Robbie", acrescentou o antigo internacional inglês.

Colegas e treinador elogiam exibição de Cristiano Ronaldo

O companheiro de Ronaldo no Manchester United Gary Neville elogiou a contribuição do jovem internacional português: "Tivemos de jogar com muito profissionalismo. Acho que não fomos espectaculares, mas o Ronaldo foi particularmente brilhante".

O treinador do Manchester, Alex Ferguson, concordou com Neville: "Se ele tiver cabeça, será uma das grandes estrelas do futebol", afirmou.

Ficha de jogo:

Manchester United: Tim Howard (Roy Carroll, 84), Gary Neville, Wesley Brown, Mickael Silvestre, John O'Shea, Cristiano Ronaldo (Ole Gunnar Solskjaer, 84), Darren Fletcher (Nicky Butt, 84), Paul Scholes, Roy Keane e Ryan Giggs e Ruud van Nistelrooy.

Millwall: Andy Marshall, Marvin Elliott, Darren Ward, Matt Lawrence, Robbie Ryan (Barry Cogan, 75), Paul Ifill, Tim Cahill, Dennis Wise (Curtis Weston, 89), Peter Sweeney, David Livermore e Neil Harris (Mark McCammon, 75).