Madrid assume não ter medido as consequências do acidente

Governo espanhol admite "falta de comunicação" na gestão da crise do "Prestige"

O Governo espanhol assumiu desleixo
Foto
O Governo espanhol assumiu desleixo EPA

O ministro espanhol da Pesca, Miguel Arias Canete, admitiu hoje na televisão Antena 3 que houve "falta de comunicação" da parte do Governo na gestão da situação criada pela avaria, naufrágio e derrame do "Prestige".

"Num primeiro momento, não medimos as consequências imediatas e não calculámos a médio prazo [as consequências] do acidente do 'Prestige'", assumiu esta manhã Arias Canete.

Na Galiza, o mau tempo volta hoje a impedir os trabalhos de limpeza do fuel-óleo, no mesmo dia em que foi divulgada uma entrevista do capitão do petroleiro, que culpa um contentor à deriva ou uma vaga pela fenda que gerou todo o drama do "Prestige" em alto-mar.

A organização ecologista Greenpeace apresentou hoje também um pedido formal ao Conselho Superior do Poder Judiciário para que sejam destacados meios "humanos, materiais e técnicos" para investigar a catástrofe.