"Prestige" quebrou-se depois de ordens da Marinha portuguesa, diz jornal alemão

Foto
O petroleiro quebrou-se a 30 milhas a norte da Zona Económica Exclusiva portuguesa EFE

"Os rebocadores holandeses foram obrigados a alterar a rota de forma abrupta pelo navio de guerra português João Coutinho", afirma o semanário. Em consequência, segundo os capitães dos rebocadores, o "Prestige" colocou-se em posição perpendicular às vagas e ficou imobilizado.

O petroleiro, com pavilhão das Bahamas, quebrou-se ao meio ao largo da Galiza, na Zona Económica eEusiva espanhola e a 30 milhas a norte da Zona Económica Exclusiva portuguesa.

Paulo Portas confirmou, a 20 de Novembro, que um navio da Marinha impediu o petroleiro de se dirigir para as águas portuguesas. O ministro da Defesa salientou que Portugal defendeu o seu interesse nacional ao "dissuadir claramente" o petroleiro de se dirigir para sul.

Durão Barroso diz que Portugal está disponível para acordo sobre desastres ecológicos

Hoje, o primeiro-ministro manifestou a disponibilidade do Governo para aderir a um acordo franco-espanhol de prevenção de desastres ecológicos no mar, desde que respeite as pretensões de Portugal.

Durão Barroso afirmou que a posição final só será anunciada amanhã após um encontro com o chefe de Estado francês, Jacques Chirac, mas adiantou que Portugal deverá "naturalmente juntar-se a qualquer consenso sobre a matéria".

Durão Barroso assegurou que Portugal está apto para efectuar a fiscalização dos navios e não será por falta de meios que deixará de aderir ao acordo.

Amanhã, o ministro da Agricultura e Pescas, Armando Sevinate Pinto, vai manifestar, em Bruxelas, a preocupação de Portugal com o acidente do "Prestige", nomeadamente face às consequências ecológicas e económicas.

O caso "Prestige" será tratado na reunião dos ministros da Agricultura e Pescas dos Quinze que teve início hoje e decorre até sexta-feira.

Portugal enviou esta madrugada para a zona do naufrágio o navio de investigação "Noruega", que está a recolher amostras de água e a capturar peixes a várias profundidades para serem analisados no Instituto de Investigação da Pesca e do Mar.

O ministro vai ainda informar os seus parceiros que o Governo adoptou desde 15 de Novembro um plano de acção no domínio da pesca, no sentido de informar diariamente as embarcações que operam em águas espanholas, da investigação de eventuais contaminações e do reforço do controlo da segurança alimentar.

Sugerir correcção
Comentar