João Paulo II inicia visita histórica à Síria

Foto
O Papa João Paulo II será o primeiro chefe da Igreja Católica a entrar num templo muçulmano EPA

João Paulo II chegou ao aeroporto de Damasco, proveniente de Atenas, às 14h00 locais (12h00 de Lisboa), onde era aguardado pelo Presidente sírio, Bachar al-Assad, altas individualidades políticas e religiosas e largas centenas de populares.As primeiras palavras proferidas pelo Sumo Pontífice foram de apelo a uma "paz verdadeira" para o Médio Oriente e a uma "atitude compreensiva e de respeito entre os povos" da região.
"Sabemos que a paz não pode ser obtida sem uma atitude nova e compreensiva e respeito entre os povos desta região, entre os fiéis das três religiões ligadas a Abraão", declarou Papa.
João Paulo II defendeu ainda a "interdição da aquisição de territórios pela força, direito dos povos de dispor do seu próprio destino, respeito pelas resoluções da Organização das Nações Unidas e das Convenções de Genebra".
O Presidente Assad exortou o Papa a apoiar a Síria, o Líbano e os palestinianos contra a "opressão israelita". "Sabemos que, nas vossas orações, vai lembrar que há povos que no Líbano, nos Golã [Síria ocupada] e na Palestina sofrem e que são oprimidos. Esperamos que os apoie contra a opressão", afirmou o Presidente.

Visita a templo muçulmano

João Paulo II ficará na história como o primeiro chefe da Igreja Católica a entrar num templo muçulmano, quando visitar amanhã a grande Mesquita de Omeídas, no centro de Damasco, onde se encontram os restos mortais de S. João Baptista, venerado pelos muçulmanos como o profeta Yahia.No terceiro dia da sua visita, João Paulo II visitará a cidade fantasma de Quneitra, nos monte Golã, a 65 quilómetros de Damasco, para rezar pela paz no Médio Oriente nas ruínas de uma igreja ortodoxa grega. Segundo a tradição, São Paulo terá passado por Quneitra quando se dirigia de Jerusalém para Damasco.
De regresso a Damasco, João Paulo II terá um encontro com os jovens ao fim do dia, seguindo no dia seguinte para Malta, última etapa desta peregrinação de seis dias destinada a percorrer "os passos de São Paulo".