Apoio projectos de investigação nos dois países

EDP formaliza em Pequim parceria com a China

Foto: Fernando Veludo/ NFactos

A EDP e a China Three Gorges (CTG) vão criar duas sociedades para apoiar projectos de investigação nos dois países e gerir serviços de energia na Ásia, concretizando uma das áreas da parceria, anunciou hoje o presidente da eléctrica portuguesa.

A criação das duas sociedades ficou consagrada no memorando assinado ontem pelos líderes das duas empresas, na primeira reunião em Pequim de António Mexia, presidente da EDP, com os administradores e quadros superiores da CTG.

“Demos mais um passo para a concretização rápida desta parceria, que está a acontecer exactamente como se previa”, disse o presidente da EDP à agência Lusa em Pequim.

Segundo adiantou, as “bases operacionais” da parceria definidas no memorando envolvem também a entrada da CTG nos parques eólicos da EDP, através de “uma participação minoritária de 34 a 49%”, o estudo de oportunidades conjuntas de investimento, nomeadamente na América Latina, e o acesso ao sistema financeiro chinês.

O “intercâmbio ao nível das boas práticas” – de gestão, recursos humanos e tecnologia – ficou igualmente consagrado. “O que está em causa é uma parceria estratégica, com uma forte componente bilateral. A EDP também irá contribuir para a modernização da China Three Gorges e nós vamos de certeza aprender com o maior produtor hidroeléctrico do mundo”, afirmou António Mexia.

Capitais próprios de quase 20 mil milhões

Além de Mexia, que regressa a Lisboa hoje à noite, participaram na reunião dois dos sete outros membros do Conselho de Administração Executivo da EDP, João Manso Neto e João Marques da Cruz.

A CTG ganhou em Dezembro passado o concurso internacional para a compra de uma participação de 21,35% no capital da EDP, vendida pelo Estado português.

Com a compra daquela participação, por cerca de 2,7 mil milhões de euros, a CTG passará a ser o maior accionista da eléctrica portuguesa.

Fundada pelo Governo chinês em 1993, para construir e gerir o maior complexo hidroeléctrico do mundo (a barragem das Três Gargantas, no Rio Yangtze), a CTG é considerada uma das mais importantes empresas da China na área das energias limpas e está envolvida em projectos do sector em 26 países.

No final de 2009, o património da CTG somava 280,980 mil milhões de yuan (32,7 mil milhões de euros), com um capital próprio de 169,85 mil milhões de yuan (19,7 mil milhões de euros), indica o website da empresa.

Comentários

Os comentários a este artigo estão fechados. Saiba porquê.