Há alunos para quem ler é tudo, mas Marcelo está preocupado com a literacia

A educação, mas sobretudo a leitura, é um “imperativo nacional”. Foi essa a mensagem que o Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, quis deixar na sua intervenção no fórum sobre os 20 anos da Rede de Bibliotecas Escolares, que decorreu esta sexta-feira na Fundação Calouste Gulbenkian, em Lisboa. O Presidente da República manifestou-se "muito preocupado" com o actual panorama da leitura em Portugal, referindo que a comunicação social de massas dá menos atenção ao tema e que se vendem menos livros.

Ainda assim, Marcelo Rebelo de Sousa ressalvou que a Rede de Bibliotecas Escolares, assim como o Plano Nacional de Leitura (que comemora 10 anos), "foi essencial" para aumentar a literacia. As palavras do Presidente foram ouvidas por uma plateia composta sobretudo por professores, muitos deles professores bibliotecários. Em 1997 existiam 164 bibliotecas nas escolas, no ano passado este número já estava nos 2426.

Há já um milhão de alunos com acesso às bibliotecas escolares, e foram seis desses alunos que subiram ao palco após a intervenção de Marcelo Rebelo de Sousa para deixar o seu testemunho numa conversa livre e bem-humorada com Ricardo Araújo Pereira (de cujo encontro prévio o PÚBLICO já tinha dado conta). 

Comentários

Os comentários a este artigo estão fechados. Saiba porquê.