Pet

Este tratador palestiniano fugiu de Rafah com leões e macacos — para os salvar

Ahmed Gomaa e a família geriam o Jardim Zoológico de Rafah. A guerra obrigou-o a fugir com os leões, os macacos e os papagaios para a um santuário animal na cidade de Khan Younis, escapando às bombas mais a sul, enquanto Israel prometeu alargar a sua ofensiva.

Ahmed Gomaa é o responsável por alimentar e cuidar dos animais Hatem Khaled/Reuters
Fotogaleria
Ahmed Gomaa é o responsável por alimentar e cuidar dos animais Hatem Khaled/Reuters

Os animais viviam no Jardim Zoológico de Rafah, no Sul da Faixa de Gaza, mas os ataques de Israel contra a cidade obrigaram o tratador Ahmed Gomaa a levar leões, macacos, papagaios e pavões para outro local, que, por enquanto, acredita ser seguro.

Estão num santuário de animais na cidade de Khan Younis, no Sul. São alimentados diariamente por Ahmed e pelas crianças que visitam o espaço e interagem com as espécies selvagens que aí vivem.

As fotografias mostram macacos acorrentados a partilhar o mesmo recinto onde estão os cães. Outros estão no interior de jaulas, ao lado de galinhas e outras aves. Os leões vivem num espaço à parte e encostam-se à rede de segurança enquanto esperam pelos carinhos do tratador.

Durante meses, o Jardim Zoológico de Rafah, que é gerido por Ahmed, foi a casa de todos os familiares do tratador e de muitos palestinianos que viram as casas serem destruídas pela guerra, conforme noticiou o P3 em Janeiro.

Nessa altura, Ahmed dizia que viver entre os animais era “mais misericordioso” do que o que recebia “dos aviões de guerra no céu”.

Ahmed Gomaa acaricia um leão retirado do zoo
Ahmed Gomaa acaricia um leão retirado do zoo Hatem Khaled/Reuters
Rapaz palestiniano alimenta macaco no santuário
Rapaz palestiniano alimenta macaco no santuário Hatem Khaled/Reuters
E brinca com as crias de leões que vão ser retiradas do zoo
E brinca com as crias de leões que vão ser retiradas do zoo Hatem Khaled/Reuters
Os leões estão num espaço à parte
Os leões estão num