Tintas de solo bombardeado, pianos danificados: a arte numa Ucrânia em guerra

Sem acesso a materiais convencionais, os artistas improvisam. Uma grande exposição em Lviv reúne trabalhos feitos nos últimos dois anos — analisando um conflito que tem raízes mais fundas no tempo.

Foto
Katya Buchatska pintou Spring Time pensando que seria a sua última obra de arte cortesia da artista
Ouça este artigo
00:00
06:03

John Object, nome artístico do ucraniano Timur Dzhafarov, alistou-se nas forças armadas do seu país após a invasão russa da Ucrânia que faz este sábado dois anos. A sua prática artística esteve suspensa durante meses. Um dia, perto de Bakhmut, o produtor musical encontrou numa casa abandonada um piano danificado (e que, por causa disso, produzia um som distorcido). Com recurso ao seu telemóvel, gravou-se a tocá-lo. Não para fazer uma canção, apenas para eternizar o momento e ficar com um registo pessoal. Mais tarde, decidiu partilhá-lo no SoundCloud. Foi a sua primeira criação desde a interrupção provocada pelo conflito — e uma alavanca que lhe permitiu voltar a pensar em fazer arte.

Os leitores são a força e a vida do jornal

O contributo do PÚBLICO para a vida democrática e cívica do país reside na força da relação que estabelece com os seus leitores.Para continuar a ler este artigo assine o PÚBLICO.Ligue - nos através do 808 200 095 ou envie-nos um email para assinaturas.online@publico.pt.
Sugerir correcção
Comentar