Cáucaso, a outra Ibéria

Viagem a um reino que (já) não existe, que sobrevive num mosaico espantoso de signos medievais ou ainda mais remotos. A maior parte situa-se na zona oriental da Geórgia.

Foto
Vista de Sighnaghi, na região leste da Ibéria, perto das fronteiras com o Azerbaijão e a Rússia Humberto Lopes

São dois irmãos, Kuridze e Kotke. Tão diferentes como as duas Ibérias, a da península e a do Cáucaso. O segundo andou aos tiros nas montanhas da Ossétia do Sul, em 2008, e entre explosões e metralha viu desaparecer companheiros de infância. Chorava, às vezes, quando ficávamos a beber cerveja de madrugada num daqueles pátios da velha Geórgia, rodeados de carcomidos varandins de madeira dos tempos de infância da mãe de Kuridze e de Kotka, quer dizer, antigos até aos últimos dias de Estaline. Era na rua Tabukashvili, mais ou menos nas traseiras da Ópera.

Os leitores são a força e a vida do jornal

O contributo do PÚBLICO para a vida democrática e cívica do país reside na força da relação que estabelece com os seus leitores.Para continuar a ler este artigo assine o PÚBLICO.Ligue - nos através do 808 200 095 ou envie-nos um email para assinaturas.online@publico.pt.
Sugerir correcção
Ler 1 comentários