Navalny é “o homem que Putin não conseguiu matar” num documentário difícil de acreditar

Estreia-se em Portugal um documentário que reconstrói o envenenamento do activista político no Verão de 2020. O caso expôs a “ineficiência” dos regimes autoritários, diz o realizador Jon Blair.

alexei-navalny,culturaipsilon,vladimir-putin,russia,europa,
Fotogaleria
alexei-navalny,culturaipsilon,vladimir-putin,russia,europa,
Fotogaleria
alexei-navalny,culturaipsilon,vladimir-putin,russia,europa,
Fotogaleria

Numa era marcada pela crescente fluidez entre a realidade e a ficção, entre as narrativas oficiais e o quotidiano de quem sofre opressões, o trabalho do documentarista é tão necessário quanto complexo. Em Navalny: O homem que Putin não conseguiu matar, que se estreia esta sexta-feira em Portugal (TVCine Edition), o realizador Jon Blair e o produtor Marcel Theroux propõem-se contar como Alexei Navalny escapou a uma sentença de morte ditada pelo Kremlin. Uma história que podia ser resumida a um clássico thriller de espiões, mas que é demasiado humana e falível. E, por isso, real.

Sugerir correcção
Ler 2 comentários