Elas morrem mais por doenças cardíacas. Peritos pedem medidas para melhorar saúde das mulheres

Grupo liderado por Maria de Belém Roseira defende mais atenção na formação médica às especificidades da saúde da mulher e maior participação de mulheres em ensaios clínicos.

Foto
É preciso aumentar o conhecimento dos profissionais de saúde “para um correcto diagnóstico e tratamento atempado” das doentes

As doenças cardíacas e cerebrovasculares estão entre as principais causas de morte na Europa e em Portugal. Apesar das melhorias conseguidas nos últimos anos, as patologias do aparelho circulatório foram responsáveis por 30% dos óbitos registados no nosso país em 2018. Mas, enquanto nas mulheres representaram 33% de todas as mortes, neles o peso desceu para 21%.

Sugerir correcção
Ler 8 comentários