Fernando Gomes, o “bibota”, entregou-se a uma missão

Gomes guerreou pelo FC Porto, prejudicou-se pelo clube e, acima de tudo, viveu para o clube — como uma missão. E, num futebol tomado pelo fanatismo, sai como todos gostariam de sair.

during the 2014/15 UEFA Champions League Play-off round draw at the UEFA headquarters, The House of European Football on August 8, 2014 in Nyon, Switzerland.
Fotogaleria
Fernando Gomes tinha 66 anos Harold Cunningham/Getty Images
destaque,obituario,futebol,desporto,fc-porto,futebol-nacional,
Fotogaleria
Fernando Gomes com a Taça Intercontinental, em Tóquio, em 1987 Reuters
destaque,obituario,futebol,desporto,fc-porto,futebol-nacional,
Fotogaleria
Fernando Gomes a 5 de janeiro de 2018 LUSA/HUGO DELGADO

“Bonito é ganhar, mas também é bonito saber perder”. Tirada do contexto mais trivial possível – uma derrota num duelo de “remate ao cone” numa brincadeira frente a um jornalista –, a frase de Fernando Gomes define sobremaneira a vida de um homem que soube ganhar, e ganhou muito, mas também soube perder.

Sugerir correcção
Ler 16 comentários