A legalização da cannabis medicinal não acabou com as dificuldades de Paula ou Frederico em ajudar os filhos

Movimento Mães pela Canábis foi criado este ano e avança agora com uma petição para que seja permitido aos doentes cultivarem a planta para autoconsumo.

Foto
Paula Mota é uma das fundadoras do Movimento Mães pela Canábis NELSON GARRIDO

Depois de uma primeira convulsão aos dez meses, Margarida chegou à idade escolar a ter três ou quatro episódios epilépticos por dia, alguns dos quais durante mais de 20 minutos. A epilepsia de Tiago parecia impossível de controlar, após um acidente vascular cerebral (AVC) à nascença. Depois de ter síndrome de FIRES (Febril Infection Related Epilepsy Syndrome) aos dez meses, a filha de Carla nunca mais se livrou dos ataques epilépticos frequentes e prolongados.

Sugerir correcção
Ler 24 comentários