Ian Brennan procura vozes únicas para combater a aristocracia das superestrelas

Músico, produtor e autor norte-americano, Ian Brennan viaja pelo planeta para gravar música e oferecer mais diversidade a um mundo que vê musicalmente monocromático. Estará presente no Festival Imaterial, em Évora, para apresentar a conferência O Contínuo Apartheid na Música Internacional. Colonialismo e Racismo nos Mass Media.

festival,cultura,evora,culturaipsilon,musica,alentejo,
Fotogaleria
Ian Brennan no Ruanda, em gravação com os The Good Ones Marilena Umuhoza Delli
Fotogaleria
Ao longo dos anos, Ian e Marilena gravaram nas Comoros (na foto), no Gana, na Tanzânia, na Roménia, no Vietname Marilena Umuhioza Delli
Fotogaleria
Os ruandeses The Good Ones Marilena Umuhioza Delli

Ian Brennan passou os anos 1990 a registar bandas e concertos como se de gravações de campo se tratasse e a organizar concertos de activismo político e de apoio a causas sociais. Nessa década, produziu discos folk de Ramblin’ Jack Elliot ou de Peter Case. Na seguinte começou a longa viagem. Juntamente com a fotógrafa e documentarista italo-ruandesa Marilena Umuhoza Delli, sua mulher, viaja mundo fora em busca de nova música. Procura, à sua escala, tornar menos desigual um cenário musical terrivelmente desequilibrado em favor da língua inglesa e das expressões musicais anglo-americanas.

Sugerir correcção
Comentar