Não é o maior navio-cruzeiro do mundo, explica-nos a Andreia Marques Pereira, que nele viajou de Reiquejavique a Amesterdão. Mas o Nowegian Prima, inaugurado com pompa e circunstância - com direito a um concerto da "madrinha" Katy Perry -, "pertence a uma nova classe de navios" e aponta para um possível futuro da indústria, tão ameaçada durante a pandemia. Entre as "only-available-on-Prima-experiences" conta-se uma pista de karting em três níveis e uma espécie de "queda-livre" por dez conveses. Os dias de viagem permitiram explorar tudo o que o mais recente navio da Norwegian Cruise Line tem para oferecer, dos restaurantes ao mini-golfe com cenários interactivos até aos jacuzzis infinitos. E a Andreia conta com todos os detalhes como é cair pelo The Drop - e chegar em pé, embora cambaleante, ao chão. 

Mas nem só de grandes navios e grandes mares se faz esta Fugas. Mudando de escala, mas mantendo a proximidade da água, vamos até à Praia da Torreira, em frente à Ria de Aveiro, para conhecer o Estaleiro-Museu do Monte Branco, na Murtosa. Aí pode-se ver um mestre da construção naval a trabalhar ao vivo e perceber, como fazem a Maria José Santana e o Paulo Pimenta, com quantos paus de faz um moliceiro. São diferentes navegações, mas sempre com os olhos postos no mar. 

 

Comentar