Jogos com História: O “Jogo do Ódio” foi há 33 anos

É longa, e lamentável, a tradição de episódios de violência e comportamento antidesportivo nas partidas entre as selecções do Egipto e da Argélia. Mas em 1989 desceu-se mais baixo do que nunca.

Foto
O "Jogo do Ódio" entre a Argélia e o Egipto DR

Mohamed Elbachir Belloumi é futebolista e, aos 20 anos, foi contratado pelo Farense e integra a equipa de sub-23, que participa na Liga Revelação. Há qualquer coisa nele que chama a atenção. Será o pé esquerdo, a qualidade com bola, a elegância e a fluidez com que encontra espaços entre os adversários para progredir em dribles ou fazer passar a bola em passes aparentemente impossíveis. O apelido ajuda a explicar alguma coisa: há aqui património genético. Mohamed é o filho mais novo de Lkhadar Belloumi, o “mago” argelino que brilhou na década de 1980. E que acabou por se ver na lista de “Procurados” da Interpol na sequência de incidentes após uma partida de futebol.

Sugerir correcção
Comentar