Comunidade Israelita do Porto garante que Governo acelerou processo de naturalização de Abramovich

Gabinete de António Costa desmente ter sido informado acerca da nacionalidade do oligarca, como diz a Comunidade Israelita do Porto numa queixa à Procuradoria Europeia sobre uma enorme conspiração anti-semita em Portugal. Congresso Internacional Judaico considera acusações “espúrias”.

Foto
António Costa diz que só soube do caso Abramovich pela investigação do PÚBLICO Daniel Rocha

O gabinete do primeiro-ministro, António Costa, e os anteriores ministros da Justiça, Francisca Van Dunem, e da Economia, Pedro Siza Vieira, negam qualquer envolvimento ou interferência no processo de naturalização de Roman Abramovich, ao abrigo da lei dos sefarditas. Numa longa queixa enviada esta semana à Procuradoria Europeia, a Comunidade Israelita do Porto (CIP) diz-se vítima da “maior conspiração anti-semita do mundo” e revela que o anterior Executivo “acelerou o pedido” do oligarca russo, por considerá-lo “um caso de interesse nacional.”

Sugerir correcção
Ler 48 comentários