Chamava-se Prince

Foto
Michael Ochs Archives/Getty Images

“O que seria hoje a Europa, se Cartago tivesse vencido Roma?”. A pergunta da escritora francesa Véronique Pittolo acompanhou-me durante algum tempo, mas o que prendeu a minha atenção foi a sua memória de Salambô (1862) de Gustave Flaubert. Não esqueceu as praças, as ruas, os terraços, os jardins e os templos de Cartago que o escritor deixou no livro. Esse facto — e outro bem menos banal — levaram-me a tirar da estante o primeiro volume da obra do escritor francês.

Sugerir correcção
Comentar