A geração que se segue

Em Elvas, a festa da arte contemporânea augura tudo de bom para o futuro.

Foto
A exposição individual de Luísa Cunha no MAEE DR

A 7 de Julho de 2007 inaugurava-se em Elvas o MACE, o museu de arte contemporânea que albergava, em depósito, a colecção António Cachola. Já na altura todos sabiam quem era este coleccionador. Colaborador do industrial de cafés Rui Nabeiro, dedicava-se a construir uma colecção de arte contemporânea portuguesa ao sabor do seu gosto e intuição. Afável e muito simpático, tinha também a fama de ser um negociador temível com artistas e galeristas. O que é certo é que o museu apresentava, na altura, uma selecção exemplar do que era a arte contemporânea feita por portugueses, e isto numa altura em que só raramente se tinha acesso a uma panorâmica do género, e sobretudo com este critério, em qualquer instituição nacional.

Sugerir correcção
Comentar