Hospitais privados fizeram quase 30% dos partos em Lisboa e Vale do Tejo em 2021

Nos hospitais da Cuf Descobertas e da Luz Saúde (em Lisboa) e no da Lusíadas Saúde da capital, em conjunto com o da Amadora, nasceram mais bebés no ano passado do que na Maternidade Alfredo da Costa. Os privados fazem muito mais cesarianas do que os hospitais públicos.

Foto
Os partos são apenas uma pequena parte da actividade dos hospitais públicos, que fazem milhares e milhares de urgências de ginecologia e obstetrícia todos os anos Daniel Rocha

Com a natalidade a diminuir em Portugal de ano para ano, os hospitais privados estão a conquistar terreno aos do Serviço Nacional de Saúde (SNS) e a fazer cada vez mais partos. Mas este fenómeno acontece essencialmente na região de Lisboa e Vale do Tejo (LVT), onde, no ano passado, as unidades dos três grandes grupos privados de saúde localizadas na capital e na Amadora fizeram já 28,5% do total de partos, mesmo considerando toda esta vasta área que se estende desde as Caldas da Rainha até Setúbal.

Sugerir correcção
Ler 27 comentários