Regresso ao futuro (num F-14)

Maverick é uma vénia, cheia de bonomia, à nostalgia do original dos anos 80.

,Estúdios Paramount Pictures
Fotogaleria
cultura,ipsilon,tom-cruise,critica,cinema,culturaipsilon,
Fotogaleria
TOM CRUISE PLAYS CAPT. PETE "MAVERICK" MITCHELL, MILES TELLER PLAYS  LT. BRADLEY "ROOSTER" BRADSHAW, MONICA BARBARO PLAYS "PHOENIX" AND GLEN POWELL PLAYS "HANGMAN" IN TOP GUN: MAVERICK FROM PARAMOUNT PICTURES, SKYDANCE AND JERRY BRUCKHEIMER FILMS.�
Fotogaleria
TOM CRUISE PLAYS CAPT. PETE "MAVERICK" MITCHELL, MILES TELLER PLAYS LT. BRADLEY "ROOSTER" BRADSHAW, MONICA BARBARO PLAYS "PHOENIX" AND GLEN POWELL PLAYS "HANGMAN" IN TOP GUN: MAVERICK FROM PARAMOUNT PICTURES, SKYDANCE AND JERRY BRUCKHEIMER FILMS. Scott Garfield�
cultura,ipsilon,tom-cruise,critica,cinema,culturaipsilon,
Fotogaleria
cultura,ipsilon,tom-cruise,critica,cinema,culturaipsilon,
Fotogaleria
,Penny Benjamin
Fotogaleria
31-08-2021 La única condición que Tom Cruise puso Top Gun 2: Maverick.

Tom Cruise volverá a encarnar al piloto que lo convirtió en una estrella en los noventa en Top Gun: Maverick. Sin embargo, el protagonista de la saga Misión Imposible tuvo claro en todo momento que su regreso estaría condicionado a una petición innegociable.

SOCIEDAD CULTURA
Paramount Pictures
�
Fotogaleria
31-08-2021 La única condición que Tom Cruise puso Top Gun 2: Maverick. Tom Cruise volverá a encarnar al piloto que lo convirtió en una estrella en los noventa en Top Gun: Maverick. Sin embargo, el protagonista de la saga Misión Imposible tuvo claro en todo momento que su regreso estaría condicionado a una petición innegociable. SOCIEDAD CULTURA Paramount Pictures Paramount Pictures
,Penny Benjamin
Fotogaleria

Os sinais de que Tom Cruise “manda” em todos os filmes que faz ultimamente, e de que, portanto, se tornou no seu próprio “autor”, são múltiplos. Podem passar pela presença regular do seu colaborador Christopher McQuarrie, realizador de várias Missão: Impossível e do primeiro Jack Reacher, que aqui voltamos a encontrar nos créditos de argumento. Mas passam, sobretudo, pela forma como o princípio funcional dos filmes se equivale. A lógica de “acção” de Top Gun: Maverick não é distinta das desses franchises – é, sim, mais concentrada: no fundo, só há uma real cena de acção no filme, a do seu clímax, a investida da esquadrilha contra as instalações onde um nunca nomeado “estado pária” está a enriquecer urânio ou coisa que o valha, algo que ameaça os aliados dos EUA na região (que também nunca se sabe que região é). Mas até lá se chegar o filme repete insistentemente os ensaios e os testes, as reproduções simuladas do ataque (porque o treino dos aviadores é o principal suporte da sua narrativa), de maneira que, quando tudo se passa a sério, o espectador sabe exactamente o que deve acontecer, e como deve acontecer, para que as coisas corram a contento.

Sugerir correcção
Comentar