Nas fotografias de Carlo Valsecchi não se vê o inimigo, mas ele está lá

O fotógrafo italiano Carlo Valsecchi mostra o seu mais recente trabalho em Bellum, guerra em latim. Conhecido sobretudo pelos grandes formatos de arquitectura industrial, deixa nesta exposição uma narrativa muito pessoal sobre as marcas da I Guerra Mundial. É um dos momentos do Festival de Fotografia Europeia em Régio da Emília, na Emília-Romanha, que acontece até 12 de Junho.

Foto
carlo valsecchi

A neve derreteu, não passa já de uma poça a aflorar a pedra, mas foi naquele chão do Altopiano di Asiago, no Nordeste de Itália, que morreram 150 mil homens num dos episódios mais sangrentos da I Guerra Mundial. A zona montanhosa no Veneto foi um dos três locais escolhidos pelo fotógrafo Carlo Valsecchi (n. 1965) para a sua narrativa visual sobre o conflito — os outros foram o monte Zugna​ e Redipuglia.

Sugerir correcção
Comentar