Ventura demite chefe de gabinete com quem fundou o Chega por questões de “política interna”

Nuno Afonso é vereador da oposição em Sintra e diz ainda não saber qual o seu futuro autárquico. Nem o demitido nem o presidente do partido querem falar sobre os motivos para a exoneração.

Foto
Daniel Rocha

Não deu justificações nem entrou em pormenores, mas André Ventura admitiu nesta sexta-feira que a exoneração do seu chefe de gabinete, Nuno Afonso, o militante número dois e com quem fundou o partido Chega, teve na base uma questão de “política interna”. O deputado e líder do Chega afirmou aos jornalistas que a demissão, formalizada nesta sexta-feira de manhã, foi uma decisão “validada” por todo o restante grupo parlamentar (11 deputados).

Sugerir correcção
Ler 15 comentários