Bandua: “Estamos a trabalhar a raiz da Beira Baixa e de nós próprios“

Uma obra surpreendente. Através da recriação de canções tradicionais da Beira Baixa, a dupla Bandua cria uma música profundamente livre e contemporânea, interrogando noções de território, espiritualidade e comunidade. Há algo novo a acontecer por aqui.

Foto
Sara Mercier/edição de Alkmin

Não se vai lá à primeira. Pode soar estranho. Não conseguimos especificar o que reconhecemos. Há qualquer coisa de familiar, o ritmo electrónico, os efeitos psicadélicos e a cadência langorosa, mas também de estranheza, na forma como o cântico se insinua por entre adufes, acordes acústicos e uma progressão minimalista que tanto projecta contenção como expansão, por entre palavras e climas misteriosos influenciados pelas tradições pagãs e mouriscas. Mas no fim fica uma sensação boa.

Sugerir correcção
Comentar