Não olhem para baixo!

Como objecto cinematográfico, Não Olhem para Cima terá limitações, mas a reflexão que promove, entre a comédia e a tragédia, dá-nos a ver as distracções a que somos sujeitos, imersos em demagogia, superficialidade ou megalomania, onde é difícil perceber no que confiar.

O fenómeno faz lembrar o de Joker, o filme de 2019 realizado por Todd Phillips, que representava uma realidade sombria, niilista e distópica. Na altura, para lá dos méritos ou fragilidades cinematográficos, o que se discutiu era se expunha com alguma fidelidade a realidade que se vivia.

Sugerir correcção
Ler 6 comentários