O autocarro que nunca chega

A inexistência de linhas transfronteiriças e a escassez de transporte público no mundo rural raiano motiva o debate sobre o despovoamento e a interligação das vilas galegas e portuguesas.

Foto
Durante as férias o transporte escolar desaparece deixando idosos dependentes do táxi ou de familiares Pablo Santiago

As paragens de autocarro adornam os caminhos das aldeias que se espalham ao longo da raia seca, a fronteira interior que separa a Galiza e o Norte de Portugal. Há maiores e mais pequenas, de diferentes cores e em diferentes estados de conservação. Apesar disso, desde a localidade de A Mezquita até ao Lindoso todas partilham uma mesma característica: ninguém espera pelo autocarro nelas.

Sugerir correcção
Ler 7 comentários