Pode haver análise automática ao fora-de-jogo em 2022

Em Abril, Arsène Wenger já tinha explicado que este sistema seria capaz de detectar o passe e localizar a posição do jogador que receberia a bola. E fá-lo-ia de forma quase instantânea, evitando minutos de espera para validação de golos.

Foto
Os árbitros assistentes poderão ter uma ajuda adicional em 2022 Reuters/CARL RECINE

Arsène Wenger, director de desenvolvimento da FIFA, avançou que o fora-de-jogo nos jogos de futebol poderá ser detectado automaticamente em 2022, através de um sistema tecnológico inovador. “Há uma boa probabilidade de o fora-de-jogo ser automático em 2022 (...) será uma das próximas grandes evoluções na arbitragem”, explicou o antigo treinador, numa conferência de arbitragem, em Paris.

Citado pelo L’Équipe, Wenger detalhou a evolução que aponta poder vir a tempo do Mundial 2022. “Em directo, de forma instantânea, a decisão será passada a um árbitro assistente”, apontou, lamentando não poder avançar mais pormenores. “Já está a funcionar, mas estou preso pelo sigilo. Mas será o próximo grande desenvolvimento na arbitragem”.

Em Abril, Wenger já tinha explicado ao The Times que este sistema seria capaz de detectar o passe e localizar a posição do jogador que receberia a bola. E, mais importante, fá-lo-ia de forma quase instantânea, evitando minutos de espera para validação de golos.

A questão do fora-de-jogo tem estado na berlinda nas últimas horas, depois do golo validado à França, na final da Liga das Nações, apesar de Kylian Mbappé estar em posição de fora-de-jogo.