Há um novo guia para ajudar na gestão das áreas marinhas protegidas

Novo instrumento lançado esta sexta-feira na revista Science pretende clarificar os diferentes tipos de protecção e estados de implementação das actuais e futuras áreas marinhas protegidas. Apenas 0,01% das áreas marinhas protegidas em Portugal tem protecção “total”, de acordo com resultados preliminares.

Foto
Parque Marinho Juan Fernández, no Chile Enric Sala/National Geographic

Mesmo com áreas marinhas protegidas pelo oceano fora, o que é que está, de facto, a ser protegido? Esta é uma questão crucial na conservação marinha e com uma resposta, muitas vezes, pouco clara. Afinal, a terminologia usada para essas áreas não segue um padrão e os seus níveis da protecção podem variar substancialmente. Para colmatar essas falhas, é lançado esta sexta-feira na revista científica Science um novo guia para ajudar na avaliação e gestão das áreas marinhas protegidas. A grande expectativa é que possa contribuir para se inverter as tendências de degradação no oceano.