Em tempos incertos, um regresso feliz e prudente à ARCOMadrid

Conseguimos! Foi assim que as galerias portuguesas celebraram a participação na ARCOMadrid 2021. Com vendas de obras de artistas portugueses e a realização de contactos inéditos com colecionadores estrangeiros, o balanço geral foi positivo, apesar de restrições e dos riscos. O próximo passo será a presença na ARCOLisboa, cujos contornos, em Setembro, permanecem ainda distantes.

arcomadrid,cultura,madrid,artes,culturaipsilon,espanha,
Fotogaleria
Pinturas de Antonio Ballester Moreno e esculturas de Anna Hulacová cortesia galeria pedro cera
arcomadrid,cultura,madrid,artes,culturaipsilon,espanha,
Fotogaleria
Projecto de AnaMary Bilbao na secção Opening, pela galeria Uma Lulik cortsia galeria Uma Lulik

Missão cumprida. A expressão é da ARCOMadrid 2021, mas podia ser a dos galeristas portugueses participantes na feira internacional de arte que decorreu entre 7 e 11 de Julho no espaço da IFEMA, em Madrid. Em pleno contexto de pandemia, com os casos a aumentar em Espanha, limitações à entrada no número de visitantes, a necessária distância social, a ARCOMadrid foi um sucesso. Em poucas palavras: venderam-se obras e fizeram-se contactos. Deram-se passos para a visibilidade da arte feita em Portugal e por artistas portugueses e o circuito galerístico representado ganhou um indispensável fôlego.