Um encontro no final da mais bela estrada de Madagáscar

Ao fundo da rua, perscruto a esplanada. Aproximo-me. A vista estará turba? Aquilo sai-me da boca sem pedir licença ao cérebro. “Está ali o Bruno!” Era mesmo o Bruno, em Tulear, tantos anos depois dessas carnes exóticas, dessas provas de vinhos que me esperavam quando eu corria para sul ao longo da Rua do Norte, no Bairro Alto.

memoria-viajante,viagens,fugas,madagascar,
Fotogaleria
Sousa Ribeiro
memoria-viajante,viagens,fugas,madagascar,
Fotogaleria
Sousa Ribeiro
memoria-viajante,viagens,fugas,madagascar,
Fotogaleria
Sousa Ribeiro
memoria-viajante,viagens,fugas,madagascar,
Fotogaleria
Sousa Ribeiro

Por aquele tempo eu adquirira o hábito de percorrer a Rua do Norte para sul, até estacionar na penúltima esquina antes de chegar ao Largo de Camões. Havia carnes exóticas, vinhos bons, uma luz mortiça que se lançava sobre as mesas do pequeno restaurante, tornando a atmosfera perfeita.