O aquecimento global secou o Sul de Madagáscar: “Não há comida”

Madagáscar é o primeiro país onde se passa fome devido às alterações climáticas, alerta a ONU. As secas fizeram com que fosse impossível plantar o que quer que seja numa terra outrora fértil. A ajuda demora a chegar — quer pela covid-19, quer pela falta de recursos. E a população tenta comer o que pode: dos frutos de cactos a gafanhotos e pequenos tubérculos.

Foto
“Não estamos a ver uma catástrofe como esta devido ao clima noutros locais. Vemos estas situações em locais onde existe conflito, como na Etiópia ou Moçambique", afirma Shelley Thakral da ONU iAko M. Randrianarivelo/mira photo/MSF-FRANCE

Não chove no sul de Madagáscar — não o suficiente para irrigar os campos ou dar de beber à população. A terra, outrora fértil, está seca. Crescem apenas cactos no meio de campos cobertos de areia, cujos frutos a população local come para evitar passar fome. O sul da ilha vive a pior seca em quase quatro décadas. Às alterações climáticas veio juntar-se a crise provocada pela covid-19. Sem rendimentos, não há quem consiga comprar comida, mesmo quando ela existe.