Uma boa presidência da UE, apesar de...

A nossa presidência foi “bem melhor” do que a prestação da selecção nacional, apesar de o Conselho Europeu que a encerrou deixar um ponto amargo na avaliação que os portugueses devem fazer dela

Como explica Teresa de Sousa, “a presidência portuguesa da UE cumpriu bem os seus dois objectivos principais: o combate à pandemia e a luta pela recuperação económica e social”. Já o tinha conseguido em ocasiões anteriores, mostrando as vantagens de ser um pequeno país sem historial de conflito com outras nações e de ter uma máquina diplomática experimentada.