Quebra de patentes de vacinas: EUA e Espanha de um lado, Portugal e Alemanha do outro

As actas das reuniões do comité de política comercial do Governo alemão no Conselho da UE em Janeiro e Fevereiro de 2021, antes da Cimeira do Porto, mostram como nos bastidores há países preocupados com a imagem pública da oposição à quebra de patentes defendida pelos EUA, como os Países Baixos e a Dinamarca. Mas a maioria, tal como Portugal, França e Alemanha, quer manter tudo como está

Foto

A proposta caiu de súbito na agenda da Cimeira Social do Porto: a administração Biden anunciou, na quarta-feira à noite, que os EUA defendem agora uma velha proposta de mais de 100 países para que as vacinas anticovid possam ter direitos livres, ou seja, que possam passar a ser produzidas em qualquer país sem que este tenha de pagar direitos de patente às marcas farmacêuticas que as desenvolveram.