Testagem em massa estende-se a todos os moradores de Lisboa

Câmara de Lisboa arrancou com um plano municipal de testagem em massa no dia 31 de Março em dez freguesias que apresentavam mais de 120 casos por 100 mil habitantes. Programa é agora alargado a toda a cidade.

Foto
LUSA/MANUEL DE ALMEIDA

A partir desta quinta-feira, todos os moradores da cidade de Lisboa terão acesso a testes gratuitos à covid-19 nas farmácias da capital. Depois de ter sido lançado a 31 de Março, o Plano Municipal de Testagem de Lisboa covid-19 alarga-se agora a todos os habitantes, deixando de estar limitados aos moradores das freguesias com mais de 120 casos por 100 mil habitantes e a cidadãos maiores de 16 anos, anunciou a Câmara de Lisboa. 

Numa altura em que Portugal está com uma “tendência ligeiramente crescente” do número de novos casos a nível nacional e se discute se há ou não condições para dar início a uma nova fase do alívio de medidas a partir de segunda-feira, os munícipes da capital poderão realizar dois testes gratuitos à covid-19 por mês nas farmácias aderentes, cuja lista tem, segundo a autarquia, aumentado “significativamente”.

Hoje, há mais de 90 estabelecimentos, que cobrem todo o concelho, “garantindo condições para o alargamento do plano de testagem a todos os moradores da cidade, num processo articulado com as autoridades regionais de saúde”, informa o município. Esta lista poderá ser consultada no site https://www.lisboa.pt/lisboaprotege/saude

A testagem é feita por profissionais da rede de farmácias e a marcação dos testes pode ser feita presencialmente ou através do número 1400. Caso o resultado do teste seja positivo, o protocolo estabelece que a farmácia comunique o caso detectado no Sistema Nacional de Vigilância Epidemiológica (SINAVE) do Ministério da Saúde.

A Câmara de Lisboa informou ainda que se encontra em conversações com as associações representativas do comércio e restauração, como a União de Associações do Comércio e Serviços da Região de Lisboa (UACS) e Associação da Hotelaria, Restauração e Similares de Portugal (AHRESP), para encontrar um sistema de testagem dos trabalhadores destas empresas, independentemente do seu concelho de residência.

Este plano de testagem maciça custará à autarquia cerca de 15 milhões de euros. Na primeira semana de testagem foram rastreadas de 1410 pessoas.

Nos municípios vizinhos de Oeiras e Cascais estão também a decorrer testagens maciças e gratuitas para toda a população.

Já em relação à vacinação, a Câmara de Lisboa discutirá, na reunião privada do executivo marcada para esta quinta-feira, uma proposta para garantir o transporte de táxi dos munícipes nas próximas fases da vacinação contra a covid-19.

Já em Fevereiro, o município decidiu assegurar o transporte de táxi dos munícipes de Lisboa, com mais de 65 anos, convocados para a vacinação contra a covid-19 “desde a sua residência até ao ponto de vacinação indicado e regresso ao domicílio, transporte esse a ser garantido através da articulação com as Juntas de Freguesia e de protocolos a estabelecer com as organizações representativas do sector táxi”, refere a proposta citada pela Agência Lusa.