Que arguidos da Operação Marquês vão a julgamento e por que crimes?

A fase de instrução começou a 28 de Janeiro de 2019, sob a direcção do juiz Ivo Rosa, do Tribunal Central de Instrução Criminal. A decisão é agora passível de recurso junto do Tribunal da Relação de Lisboa.

Foto
Ricardo Salgado, João Perna, Carlos Santos Silva, José Sócrates e Armando Vara (da esquerda para a direita, de cima para baixo)

O ex-primeiro-ministro José Sócrates e os outros 27 arguidos da Operação Marquês souberam esta tarde se iriam a julgamento e por que crimes são pronunciados.

Vídeo: De 31 crimes para 6. Ivo Rosa alivia Sócrates e arrasa Ministério Público

Além de Sócrates, no processo estão também outras figuras públicas, como o ex-presidente do BES Ricardo Salgado, o antigo ministro socialista e ex-administrador da CGD Armando Vara, os ex-líderes da PT Zeinal Bava e Henrique Granadeiro, o empresário Helder Bataglia e Carlos Santos Silva, alegado testa-de-ferro do ex-primeiro-ministro e seu amigo de longa data. No processo da acusação estavam em causa 189 crimes económico-financeiros.

A fase de instrução começou a 28 de Janeiro de 2019, sob a direcção do juiz Ivo Rosa, do Tribunal Central de Instrução Criminal. A decisão é agora passível de recurso junto do Tribunal da Relação de Lisboa.

Consulte aqui a lista dos arguidos que irão a julgamento e os crimes pelos quais foram acusados:

Quem vai a julgamento

  • Carlos Santos Silva (empresário) - 3 crimes de branqueamento de capitais; 3 crimes de falsificação de documentos
  • José Sócrates (ex-primeiro-ministro) - 3 crimes de branqueamento de capitais; 3 crimes de falsificação de documentos
  • Ricardo Salgado (ex-presidente do Banco Espírito Santo) - 3 crimes de abuso de confiança
  • Armando Vara (ex-ministro) - 1 crime de branqueamento de capitais
  • João Perna (ex-motorista de José Sócrates) - 1 crime de detenção de arma proibida

A acusação

  • Carlos Santos Silva (total de 33 crimes) - 3 crimes de fraude fiscal qualificada; 10 crimes de falsificação de documento; 17 crimes de branqueamento de capitais; 1 crime de corrupção passiva de titular de cargo político; 1 crime de fraude fiscal; 1 crime de corrupção activa de titular de cargo político
  • José Sócrates (total de 31 crimes) - 3 crimes de fraude fiscal qualificada; 3 crimes de corrupção passiva de titular de cargo político; 16 crimes de branqueamento de capitais; 9 crimes de falsificação de documento
  • Ricardo Salgado (total de 21 crimes) - 3 crimes de abuso de confiança; 3 crimes de fraude fiscal qualificada; 3 crimes de falsificação de documento; 9 crimes de branqueamento de capitais; 1 crime de corrupção activa de titular de cargo político; 2 crimes de corrupção activa
  • Joaquim Barroca Rodrigues (vice-presidente do antigo grupo Lena, total de 14 crimes) - 2 crimes de fraude fiscal qualificada; 3 crimes de falsificação de documento; 7 crimes de branqueamento de capitais; 1 crime de corrupção activa de titular de cargo político; 1 crime de corrupção activa
  • Hélder Bagtalia (empresário, total de 10 crimes) - 5 crimes de branqueamento de capitais; 2 crimes de falsificação de documento; 2 crimes de fraude fiscal qualificada; 1 crime de abuso de confiança
  • Henrique Granadeiro (ex-administrador da PT, total de 8 crimes) - 1 crime de abuso de confiança; 1 crime de peculato; 2 crimes de branqueamento de capitais; 3 crimes de fraude fiscal qualificada; 1 crime de corrupção passiva
  • Lena Engenharia e Construções, SA (total de 7 crimes) - 2 crimes de corrupção activa; 3 crimes de branqueamento de capitais; 2 crimes de fraude fiscal qualificada
  • José Diogo Gaspar Ferreira (ex-presidente do grupo que gere o empreendimento de Vale do Lobo, total de 6 crimes) - 1 crime de corrupção activa de titular de cargo político; 2 crimes de branqueamento de capitais; 3 crimes de fraude fiscal qualificada
  • Zeinal Bava (ex-administrador da PT, total de 5 crimes) - 1 crime de corrupção passiva; 2 crimes de fraude fiscal qualificada; 1 crime de falsificação de documento; 1 crime de branqueamento de capitais
  • Armando Vara (total de 5 crimes) - 2 crimes de fraude fiscal qualificada; 2 crimes de branqueamento de capitais; 1 crime de corrupção passiva de titular de cargo político
  • Rui Mão de Ferro (empresário, total de 5 crimes) - 1 crime de branqueamento de capitais; 4 crimes de falsificação de documento
  • XLM - Sociedade de Estudos e Projectos, Lda (total de 5 crimes) - 3 crimes de branqueamento de capitais; 2 crimes de fraude fiscal qualificada
  • Rui Horta e Costa (administrador do resort de Vale do Lobo, total de 4 crimes) - 1 crime de corrupção activa de titular de cargo político; 1 crime de branqueamento de capitais; 2 crimes de fraude fiscal qualificada
  • Gonçalo Ferreira (advogado, total de 4 crimes) - 3 crimes de branqueamento de capitais; 1 crime de falsificação de documento
  • Lena Engenharia e Construções, SGPS (total de 3 crimes) - 1 crime de branqueamento de capitais; 2 crimes de corrupção activa
  • Lena SGPS (total de 3 crimes) - 2 crimes de corrupção activa; 1 crime de branqueamento de capitais
  • Oceano Clube (total de 3 crimes) - 3 crimes de fraude fiscal qualificada
  • Vale do Lobo Resort Turístico de luxo, SA (total de 3 crimes) - 3 crimes de fraude fiscal qualificada
  • Luís Ferreira da Silva Marques (ex-director na Rede de Alta Velocidade, total de 2 crimes) - 1 crime de corrupção passiva; 1 crime de branqueamento de capitais
  • José Luís Ribeiro dos Santos (engenheiro civil, total de 2 crimes) - 1 crime de corrupção activa; 1 crime de branqueamento de capitais
  • Bárbara Vara (filha de Armando Vara, total de 2 crimes) - 2 crimes de branqueamento de capitais
  • José Paulo Pinto de Sousa (primo de Sócrates, total de 2 crimes) - 2 crimes de branqueamento de capitais
  • João Perna (total de 2 crimes) - 1 crime de branqueamento de capitais; 1 crime de detenção de arma proibida
  • Sofia Fava (ex-mulher de Sócrates, total de 2 crimes) - 1 crime de branqueamento de capitais; 1 crime de falsificação de documento
  • XMI - Management & Investments, SA (total de 2 crimes) - 1 crime de corrupção activa; 1 crime de branqueamento de capitais
  • Pepelan - Consultoria e Gestão, Lda (total de 2 crimes) - 1 crime de fraude fiscal qualificada; 1 crime de branqueamento de capitais
  • Inês Rosário (companheira de Carlos Santos Silva, total de 1 crime) - 1 crime de branqueamento de capitais
  • RMF - Consulting, gestão e consultoria estratégica (total de 1 crime) - 1 crime de branqueamento de capitais