António Vitorino: “Corremos o risco de uma fractura baseada nas questões de saúde”

“Com as dificuldades económicas e sociais que vamos passar, admito um crescimento da retórica populista”, afirma o director-geral da Organização Internacional das Migrações. Lembra que, em 2019, os imigrantes contribuíram com 800 milhões de euros para a Segurança Social portuguesa e obtiveram cem milhões em benefícios sociais, o que contraria a retórica populista.

Foto
Daniel Rocha

Director-geral da Organização Internacional das Migrações (OIM), António Vitorino falou ao PÚBLICO a partir de uma Genebra com bom tempo. Mas o antigo comissário europeu para a Justiça e Assuntos Internos não confunde a bonança meteorológica suíça com o mundo que virá depois da pandemia planetária. Ainda assim, Vitorino não perde a esperança e considera, sem negar os riscos, que esta crise é uma oportunidade de fazer algo novo e diferente.