Algarve cria duas mil unidades de Alojamento Local para aves

Ornitólogos instalam ninhos em parques e jardins, pedindo ajuda aos pássaros para controlar a lagarta-do-pinheiro e outras pragas. O estado de emergência mudou a relação do homem com a natureza – os carros ficaram na garagem e as aves gozam férias.

Foto

Melros, chapins, estorninhos, e muitas outras espécies de aves, fugiram do campo para a cidade, tornaram-se residentes e no Algarve já fazem férias todo o ano. O que lhes tem faltado é “alojamento” para se livrarem dos olhares indiscretos na época do acasalamento. Os ambientalistas da Associação Vita Nativa – Conservação do Ambiente deram uma ajuda: estão a montar uma rede de Alojamento Local (AL) para Aves, que consiste na instalação de 2 mil caixas-ninhos nos parques e jardins de toda a região. Lagos está na linha da frente: para descanso dos animais, vai retirar o campo de tiro do Paul, situado próximo de uma zona de nidificação e do sapal da ribeira de Bensafrim