easyjet: mala de cabine fica mais pequena e debaixo do assento na tarifa básica

Companhia tem nova política de bagagens a partir de 10 de Fevereiro e aproxima-se das medidas já tomadas por outras low cost.

Foto
BLR bruno lisita

A exemplo de outras companhias low cost, a easyJet decidiu reduzir o tamanho da bagagem de cabine e esta terá de caber debaixo do assento. Para levar malas de cabine maiores e nos compartimentos superiores há que optar por modalidades que obrigam a pagar uma taxa adicional.

Até ser anunciada a nova política de bagagem, todos os passageiros da companhia podiam levar para bordo uma mala de cabine de tamanho mais de acordo com a tradicional e simples mala de viagem com rodas, isto é, 56x45x25 cm. A partir de 10 de Fevereiro, as dimensões baixam cerca de dez centímetros em termos de altura e largura, ficando próximas de uma mochila: passam a ter o limite de 45x36x20 cm. E só poderão seguir debaixo do assento da frente, onde obrigatoriamente têm de caber. Estes são os novos termos para quem comprar apenas a tarifa básica, sem extras.

Só quem adquirir as modalidades Up front (lugar à frente) ou Extra legroom (espaço extra para as perna) vai poder colocar bagagem nos compartimentos superiores do avião, tendo ainda direito a “uma mala de cabine grande adicional” - isto é, com as medidas até agora permitidas para todos, 56x45x25 cm. As taxas para estes extras podem variar entre 10,49 e 52,49 euros. Quem quiser levar bagagem de porão terá de pagar entre 8,99 e 55,99 euros - dependendo do peso até 15 ou 23kg, rotas e “momento da reserva”.

Os passageiros que já tenham “reservas posteriores” a 10 de Fevereiro, informa a empresa, “receberão grátis um Hands Free, podendo assim trazer uma bagagem de dimensões superiores”. Já os clientes com cartão easyJet Plus ou Flexi “continuarão a ter direito a uma bagagem extra na sua reserva, dependente do espaço disponível”.

Em comunicado, a easyJet considera que “esta nova política permitirá aumentar a eficácia e pontualidade dos voos”, “garantindo que cada passageiro saiba de antemão o que poderá levar em cada voo”. 

O novo regulamento “ainda é dos mais generosos da indústria”, defende a companhia, em nota enviada à Fugas pelo gabinete de comunicação em Portugal, e “continuará a não contemplar qualquer limite de peso”.

Na Ryanair, por exemplo, as dimensões actualmente aceites para a bagagem de mão são de facto mais reduzidas: 40x25x20 cm. Já numa companhia tradicional como a TAP, é permitida, em classe económica, mala com 55X40x20 cm, mas com peso máximo de 8kg em voos de curto e médio curso, além de “mais um item pessoal até 2 Kg e até 40x30x15 cm.

A nova política de bagagem da easyJet, com datas, dimensões e preços pode ser consultada aqui. A listagem geral de taxas, incluindo de escolha de lugar e relativas a bagagens, está aqui.