Comissão de direitos humanos da Etiópia denuncia massacre de 600 civis na região de Tigré

Organização independente corrobora relatos da Amnistia Internacional e atribui a autoria do massacre de populaçao da minoria amhara a jovens ligado à Frente de Libertação do Povo Tigré. No terreno há quem acuse os amhara e as forças governamentais de matar tigrés.

Foto
Refugiados etíopes a caminho da fronteira com o Sudão, em fuga dos confrontos na região de Tigré Reuters/MOHAMED NURELDIN ABDALLAH

A organização independente que investiga acusações de violência contra civis na Etiópia corroborou, na terça-feira, o relatório da Amnistia Internacional que denunciou a chacina de pelo menos 600 pessoas na região de Tigré, no Norte do país. Segundo a comissão etíope, estão em causa “violações dos direitos humanos que podem representar crimes contra a humanidade e crimes de guerra”.