Acordo com o Chega nos Açores divide antigos líderes do PSD

Manuela Ferreira Leite considera que a “alma do PSD está intacta”. Já Rui Machete discorda da solução politica do presidente do partido e teme a influência que terá em futuras eleições.

manuela-ferreira-leite,luis-marques-mendes,politica,rui-rio,acores,psd,
Fotogaleria
José Manuel Bolieiro , lider do PSD-Açores foi indigitado como presidente do Governo regional LUSA/EDUARDO COSTA
manuela-ferreira-leite,luis-marques-mendes,politica,rui-rio,acores,psd,
Fotogaleria
Rui Rio e André Ventura, no Parlamento António Cotrim/Lusa

O acordo de legislatura com o Chega que permite ao PSD formar Governo nos Açores está a dividir os sociais-democratas. Uma ronda pelos ex-presidentes do PSD e ex-líderes parlamentares evidencia a divisão em que o partido mergulhou nos últimos dias. Alguns dos barões do PSD não quiseram pronunciar-se ou não responderam ao pedido do PÚBLICO, como aconteceu com Francisco Pinto Balsemão (que disse não dever interferir publicamente nas decisões tomadas pelos órgãos do partido), Luís Filipe Menezes (que deseja manter o silêncio sobre o partido), Durão Barroso e Cavaco Silva, e outros argumentaram que já tinham falado publicamente do assunto, como é o caso de Pedro Santana Lopes e de Manuela Ferreira Leite, próxima de Rui Rio.