Morreu Eduardo Salavisa, desenhador do quotidiano e um dos fundadores dos Urban Sketchers

Eduardo Salavisa tinha 70 anos. A morte foi confirmado pelo Museu Bordalo Pinheiro ao início da noite.

artes-cultura-entretenimento,cultura,obituario,ilustracao,artes,culturaipsilon,
Fotogaleria
Museu Bordalo Pinheiro
artes-cultura-entretenimento,cultura,obituario,ilustracao,artes,culturaipsilon,
Fotogaleria
O artista tinha 70 anos Museu Bordalo Pinheiro

O desenhador e fundador dos Urban Sketchers Eduardo Salavisa morreu este sábado, aos 70 anos, vítima de cancro pancreático. A morte do artista, que foi ilustrador no PÚBLICO, foi confirmada ao começo da noite pelo Museu Bordalo Pinheiro, em Lisboa, onde decorre a exposição da sua mais recente colecção Um Cadeirão e 96 Retratosque reúne 96 retratos do autor a amigos que o foram visitar durante a fase terminal da vida. A maioria pode ser encontrada no livro Caderno de Retratos - Memórias Imperfeitas, que reúne os retratos de antigos alunos, vizinhas, família, e amigos próximos.

“Desconfio que muita gente apareceu para me dar um último abraço”, disse o próprio Eduardo Salavisa sobre a colecção. “As memórias destes momentos em que amigos meus me visitaram no momento terminal da minha vida foram registados por um desenho. Ambos, a memória e o desenho, são imperfeitos”, disse durante uma visita do PÚBLICO à exposição. 

A exposição que deveria encerrar este domingo, dia 8 de Novembro, será prolongada até dia 15 de Novembro em homenagem ao desenhador. “Os mais próximos sabiam que a exposição Um Cadeirão e 96 Retratos, Exposição de Eduardo Salavisa era uma despedida dos seus amigos e como que uma herança para todos os que foram ao Museu e quiseram ser por ele desenhados”, lê-se no comunicado do Museu Bordalo Pinheiro. 

Eduardo Salavisa nasceu em Lisboa, em 1950, e licenciou-se na Escola de Belas Artes de Lisboa, em Design de Equipamento. Começou a carreira na área de Design Industrial, criando peças que mais tarde eram produzidas. As que lhe deram mais gozo, lê-se na pequena biografia que deixou na sua página online, eram brinquedos de madeira. Mais tarde, decidiu dedicar-se à pintura concentrando-se em gravar pequenos momentos do quotidiano em Portugal e por vários países do mundo (fazem parte dos seus “Diários de Viagem") e tornou-se um dos fundadores dos Urban Sketchers, uma comunidade global de artistas que partilham esboços do dia-a-dia pelos locais que passam. Pelo meio, foi professor do ensino secundário na Escola Secundária Pedro Nunes em Lisboa e ilustrador da secção A Semana Ilustrada, no Público, juntamente com o artista João Catarino. 

Em comunicado, a comunidade portuguesa dos Urban Skechers descreve Salavisa como “a maior referência do universo dos diários gráficos e do urbansketching em Portugal e uma das grandes referências no mundo.” “Obrigada pela tua generosidade Eduardo”, lê-se na publicação