ipsilon,ficcao,antonio-munoz-molina,entrevista,culturaipsilon,livros,
Miguel Manso
Entrevista

Lisboa é um refúgio para Antonio Muñoz Molina

O protagonista do último romance de Antonio Muñoz Molina troca Nova Iorque por Lisboa. Aguarda o fim do mundo e a vinda de uma mulher. Valerá a pena?

Tal como o narrador de Os Teus Passos nas Escadas, Antonio Muñoz Molina (n. 1956) viveu em Nova Iorque e estava lá quando ocorreu o 11 de Setembro de 2001. Há três anos, o escritor espanhol comprou um apartamento em Lisboa, onde passou a residir quando não está em Madrid. Bruno, o protagonista do seu romance mais recente, que a Relógio D’Água acaba de publicar em português, veio também para Lisboa, mas vem para aqui “esperar o fim do mundo”. E esperar pela mulher, Cecilia. Enquanto esta não chega, arruma a casa. E os livros e os móveis trazidos de Nova Iorque. E as memórias e obsessões. Com a ajuda de um faz-tudo português chamado Alexis e de uma empregada de limpeza chamada Cândida. Enquanto Cecilia não chega, Bruno deambula pela cidade com a sua cadela Luria.