Já há famílias a organizarem-se para um Natal diferente. “Não tenho memória de natais parecidos com este”

Um Natal “mais improvisado”, porque ninguém sabe “o que vai acontecer”. Um Natal com “sofrimento”, pelas mortes provocadas pela covid-19, mas não só. “Um Natal sob o signo da pobreza.” A questão não se resume apenas à data festiva: “A pandemia está a afectar bastante a dinâmica familiar, não nos encontrávamos só no Natal.”

Foto
A família de Miguel Fernandes é uma das que ponderam um Natal diferente, este ano, por causa da pandemia Nuno Ferreira Santos

Em casa dos pais de Miguel Fernandes, no jantar da véspera de Natal, costumam ser mais de 20 pessoas. No almoço de 25, já em casa dos sogros, chegam a ser 55. Mas, este ano, pela primeira vez, deverá ser diferente: Miguel está a planear passar o Natal apenas com a mulher e os filhos. E já são muitos: o casal tem dez filhos. Não é a única família a considerar fazer um Natal diferente, num ano marcado pela pandemia provocada pelo SARS-CoV-2.