Mais 121 concelhos e 7,1 milhões de portugueses com novas medidas de restrição — regressa o dever de ficar em casa e o teletrabalho obrigatório

Medidas de confinamento que foram aplicadas a Lousada, Felgueiras e Paços de Ferreira serão alargadas a 121 concelhos.

abre-conteudo,covid19,coronavirus,saude,politica,doencas,
Fotogaleria
Paulo Pimenta
abre-conteudo,covid19,coronavirus,saude,politica,doencas,
Fotogaleria
, Paulo Pimenta,Paulo Pimenta
abre-conteudo,covid19,coronavirus,saude,politica,doencas,
Fotogaleria
Paulo Pimenta

Mais 121 concelhos e 7,1 milhões de portugueses ficarão em confinamento parcial a partir de 4 de Novembro, anunciou António Costa no briefing do Conselho de Ministros. O primeiro-ministro confirmou ainda que vai falar com Marcelo Rebelo de Sousa sobre estado de emergência, mas a reunião ainda não está marcada. 

“Se fizermos tudo bem hoje, não teremos de fazer nada mais tarde para ter um Natal tranquilo”, respondeu, quando lhe perguntam sobre se o país voltará ao confinamento geral nas duas primeiras semanas de Dezembro. António Costa admitiu, contudo, ter colocado esse cenário em conversa com os patrões, como hipótese de trabalho e sem datas associadas.

Um dos critérios para determinar quais são os concelhos de maior risco que entrarão para o mapa de risco será o dos 240 casos por 100 mil habitantes nos últimos 15 dias, que já serviu para os três concelhos que estão em confinamento. “Este é um critério que se aplica a vários concelhos das zonas metropolitanas de Lisboa e do Porto”, referiu.

Situações em que um concelho esteja acima daquele critério em resultado de um surto confinado, por exemplo, de um lar, serão excluídas. É o caso de Alvaiázere, por exemplo. Em sentido inverso, pode haver concelhos que não estão acima dos mais de 240 casos por 100 mil habitantes, mas que são ilhas no conjunto dos concelhos que os rodeiam. “É o caso da Moita, Montijo, Barreiro e Alcochete, que estavam abaixo dos 240, o caso do Sobral de Monte Agraço ou de Viana do Castelo”, disse António Costa, citando outros exemplos.

A cada 14 dias o Conselho de Ministros revisitará a lista, esperando retirar uns e receando acrescentar outros. “Convém não criar falsas expectativas. Novembro vai ser um mês muito duro”.

Portugal teve primeiro travão em Março

O país entrou em estado de emergência a 18 de Março que apenas foi levantado a 2 de Maio.

Portugal contou, este sábado, mais 2831 recuperados e tem 58.492 casos activos de infecção pelo novo coronavírus, mais 1137 do que na sexta-feira. Estão internadas 1972 pessoas, das quais 286 nos cuidados intensivos.

Desde o início da pandemia, já se confirmaram 141.270 casos e morreram 2507 pessoas. Actualmente, Portugal tem mais de 58 mil casos de covid-19 activos, sendo a região do Norte e da Grande Lisboa as mais afectadas.

Sugerir correcção