Rúben Amorim: “Vietto? Só posso dizer que não está convocado”

Técnico do Sporting não confirma saída do avançado argentino para a Arábia Saudita, mas admite que não será fácil substituí-lo.

Rúben Amorim, treinador do Sporting
Foto
Rúben Amorim, treinador do Sporting LUSA/ANTONIO COTRIM

Enquanto não for oficial, Rúben Amorim não dá por consumada a saída de Luciano Vietto para o Al-Hilal, da Arábia Saudita, mas percebe-se pelas palavras do treinador do Sporting que o argentino está de partida.

“Vietto? Até ser oficial, é jogador do clube. Sabemos que, por vezes, outros valores se levantam. O que posso dizer é que não está convocado”, começou por dizer Amorim, que não chamou o argentino para o jogo deste sábado, nos Açores, frente ao Santa Clara, revelando, depois, que Tabata e Eduardo Quaresma também não estão na lista para o encontro com a formação açoriana.

Depois, Amorim admitiu que, quando esse negócio ficar fechado, será difícil substituir o avançado argentino que marcou o golo do empate frente ao FC Porto na última jornada da liga: “O Vietto ainda é jogador do Sporting, mas não será fácil substituir um jogador como ele.”

A eliminação no “play-off” de apuramento para a Liga Europa deixou o Sporting com uma semana inteira para trabalhar o confronto com o Santa Clara e Amorim reconhece alguns benefícios de não ter compromissos europeus. “As equipas estão preparadas para jogar de três em três dias. Em termos de trabalho ajuda, dá vantagem no aspecto táctico, no aspecto físico não. Temos gente muito nova e jogar ajuda a crescer. Vamos aproveitar e crescer de outra maneira”, reconheceu.

Amorim não quis falar do mercado nem dos jogadores excedentários que trabalham à margem da equipa principal, mas falou em concreto de dois jogadores que têm estado em destaque neste início de época, o jovem lateral-esquerdo Nuno Mendes e o experiente guarda-redes espanhol António Adán.

Sobre Nuno Mendes, Amorim mostrou-se surprendido com a evolução do jovem formado nos “leões": “O Nuno Mendes é uma surpresa. Quando cheguei, vi o Matheus Nunes e o Eduardo Quaresma como os mais maduros e pensei que ele ia demorar mais tempo. Está mais adulto, mas nota-se algum cansaço. É um talento e será o titular no lado esquerdo da defesa da selecção por muitos anos.”

Sobre Adán, Amorim destacou o papel que tem desempenhado no crescimento da equipa e na evolução de Luís Maximiano, que era o titular da baliza “leonina” na época passada. “O Adán é um guarda-redes com experiência para ajudar a equipa e o Max. Quando cheguei, metia os miúdos a jogar porque esse era o caminho. O que fizémos no mercado foi complementar essa juventude. O Max esteve sem treinar durante 15 dias [por estar infectado com covid-19] e o momento foi aquele. O Adán esteve muito bem. Com o Max, o Sporting tem um guarda-redes de grande nível que ainda tem muitas coisas a melhorar.”

Sugerir correcção