Áreas degradadas e falhas em registos clínicos. IGAS detecta problemas em comunidades terapêuticas

Inspecções abrangeram dez instituições. Há desconformidades que são comuns a várias comunidades terapêuticas. IGAS não identificou situações fraudulentas.

Foto
ruf rui farinha

Áreas degradadas, quartos que não respeitam a área mínima por cama, regulamentos internos desactualizados, insuficiências nos procedimentos de facturação e falhas nos registos clínicos. São algumas das desconformidades detectadas pela Inspecção Geral das Actividades em Saúde (IGAS) num conjunto de acções inspectivas que realizou a comunidades terapêuticas (CT) na área dos comportamentos adictivos.