Relatório conclui que quase todos os protestos Black Lives Matter são pacíficos

Mais de 93% dos protestos do movimento antirracista norte-americano, que aconteceram entre o final de Maio e o final de Agosto, não envolveram danos graves a pessoas ou bens.

Foto
De acordo com o estudo, o Governo dos Estados Unidos teve "mão pesada” em relação a estas manifestações Reuters/CHERISS MAY

A grande maioria dos milhares de protestos do movimento Black Lives Matter realizados este Verão foram pacíficos, com mais de 93% a não envolverem danos graves a pessoas ou bens, de acordo com um novo relatório sobre a violência política nos Estados Unidos publicado no início de Setembro, citado pelo diário britânico The GuardianOs dados foram recolhidos pelo projecto Armed Conflict Location & Event Data (ACLED), uma organização que acompanha e analisa a violência política em várias regiões do mundo, em conjunto com a iniciativa Bridging Divides da Universidade de Princeton.

Apesar de os protestos serem pacíficos, o Governo dos Estados Unidos adoptou, no entender destas organizações, uma “abordagem de mão pesada” em relação a estas manifestações, com as autoridades a utilizar a força “com bastante frequência”, lê-se no relatório, que também alerta para o aumento da violência e intimidação armada por parte de actores individuais contra estes manifestantes — como atropelamentos premeditados, muitas vezes associados a grupos como o KKK. 

“Tem havido algumas manifestações violentas e estas tendem a obter muita cobertura mediática”, afirma Roudabeh Kishi, directora de investigação e inovação do ACLED, ao Guardian. “Mas se olharmos para todas as manifestações que acontecem, são esmagadoramente pacíficas”, acrescenta.

Entre o final de Maio e o final de Agosto, os investigadores contabilizaram 7750 manifestações associadas ao movimento Black Lives Matter em mais de 2000 locais diferentes nos Estados Unidos e concluíram que as autoridades governamentais apresentaram uma maior tendência para intervir em protestos do movimento Black Lives Matter do que noutras manifestações.

Nesses protestos, as autoridades recorreram mais ao uso da força, nomeadamente à utilização de bastões, gás lacrimogéneo, balas de borracha ou gás pimenta, aponta o documento. O relatório indica ainda que, neste Verão, foram registados 392 incidentes em que as autoridades utilizaram a força contra manifestantes do movimento Black Lives Matter.

A intervenção violenta também atingiu os jornalistas que cobriam esses eventos: aconteceu em pelo menos 100 situações, de acordo com a investigação. A resposta violenta das forças governamentais não tornou os protestos mais pacíficos, conclui o relatório.