“Black Lives Matter”, ouviu-se em Portugal e um pouco pelo resto do mundo

Milhares de pessoas desfilaram este sábado pelas ruas portuguesas contra a violência policial racialmente motivada. Portugal juntou-se aos EUA, à Austrália e à Europa numa vaga de protestos que não dá sinais de perder força.

protestos,mundo,portugal,america,reino-unido,alemanha,
Fotogaleria
Milhares de pessoas marcharam em Lisboa contra o racismo Rui Gaudêncio
protestos,mundo,portugal,america,reino-unido,alemanha,
Fotogaleria
Os manifestantes concentraram-se na Alameda D. Afonso Henriques e depois desceram a Avenida Almirante Reis Rui Gaudêncio
protestos,mundo,portugal,america,reino-unido,alemanha,
Fotogaleria
No Porto, onde a marcha “Resgatar o futuro, não ao lucro” e uma manifestação contra o racismo confluíram, juntaram-se mais de mil pessoas Paulo Pimenta
protestos,mundo,portugal,america,reino-unido,alemanha,
Fotogaleria
Protesto do Porto Paulo Pimenta
protestos,mundo,portugal,america,reino-unido,alemanha,
Fotogaleria
Ouviram-se palavras de apoio aos Black Lives Matter no protesto do Porto LUSA/FERNANDO VELUDO
,Demonstração
Fotogaleria
Viram-se na manifestação do Porto algumas bandeiras antifascista LUSA/FERNANDO VELUDO
protestos,mundo,portugal,america,reino-unido,alemanha,
Fotogaleria
Os manifestantes conseguiram manter algum distanciamento social em Coimbra LUSA/PAULO NOVAIS
Fotogaleria
Também em Berlim, na Alemanha, houve protestos em apoio ao Black Lives Matter LUSA/OMER MESSINGER
Fotogaleria
As pessoas foram tantas na Alexanderplatz que a polícia pediu a quem lá se dirigia que não fosse, por o distanciamento social ser impossível LUSA/OMER MESSINGER
Fotogaleria
A Parliament Square, em Londres, depressa ficou sobrelotada e sem espaço para as pessoas circularem LUSA/ANDY RAIN

De punho no ar e cartazes bem ao alto, milhares de pessoas saíram este sábado à rua contra a violência policial e o racismo em Lisboa, Porto, Faro, Beja, Viseu e Coimbra. Portugal disse presente numa vaga de protestos que começou nos Estados Unidos, por causa do homicídio do afro-americano George Floyd às mãos de um polícia, e que dias depois se espalhou um pouco por todo o mundo. Centenas de milhares de pessoas saíram à rua, e a mensagem foi clara: fim da impunidade da violência policial racialmente motivada, não ao racismo, não ao fascismo.